sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Quando Jesus Cristo Nasceu, trouxe um novo tempo de comunhão com os seres humanos!!



Quando Jesus Cristo nasceu, há cerca de 2010 anos atrás, o propósito de sua vinda fôra comunicado por um Anjo, à mãe de nosso Senhor, à Maria, isto ocorreu antes do nascimento da criança, mas logo após o nascimento do menino um coral de Anjos acresceu a humanidade os resultados que decorriam ao mundo por conta de sua recém chegada entre os homens.

O primeiro Anjo, o que anunciou à Maria, afirmara que o propósito de sua vinda era primordialmente de libertar a humanidade de seus pecados, além de com este propósito, restaurar a primeira comunhão que existira um dia, lá no Jardim do Édem, entre Deus e o Homem.

A expressão do Anjo à Maria foi: "...conceberá e darás luz à um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, que traduzido é: Deus conosco" (Mateus  capítulo 1 e versículo 23).

Em outra passagem o Anjo afirma:

"...Eis que vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo" (Lucas capítulo 2  versículo 10).

O nascimento de Jesus anunciou uma nova era de relações dentre Deus e Homem. Deus estando presente na história da humanidade, contudo somente participa da história de cada indivíduo na humanidade, se por estes for provocado através de atos de boa vontade.

Observemos esta outra passagem da narrativa do evangelista Lucas, onde num segundo momento, concomitante ao anterior já descrito acima, os Anjos participam do anuncio dos desdobramentos da vinda do Salvador:

"Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens" (Lucas capítulo 2 e versículos 13 e 14).

Neste momento da narrativa percebemos o quanto Deus estava preocupado em cumprir um papel determinante na história da humanidade. Um Deus que é sempre Imanente (capacidade de estar presente na criação), embora carregue consigo sua transcendência (capacidade de se distinguir e estar acima da criação), Ele nunca  nos abandonou a própria sorte . Acredite!

O que aquela multidão de Anjos, como um grande coral  queria nos avisar? Anunciavam que Deus estava estabelecendo uma nova era (tempo) de comunhão e paz, saúde e alegria, vida e amor. Que aos homens, seriam lhes dado boa vontade para evitarem os conflitos; eles teriam condições de abrirem mão de reivindicar direritos individuais em prol do coletivo. E, que aos mais fracos seriam-lhes concedido o direito de serem ouvidos, além do que os mais fortes poderiam exercer maior tolerância.

Deus anunciava através das vozes angelicais e celeste, um novo tempo à humanidade, não era mais o chronos dos Gregos (tempo capaz de ser medido), mas um um novo tempo, um kairós (tempo de qualidade, tempo completo, tempo não medido, tempo perfeito). Era um novo momento, um tempo em que Deus estava com os homens, a fim de produzir boa vontade em seus corações.

Façamos todos proveito deste tempo de boa vontade, a fim de perdoar-nos pelos erros que cometemos uns contra os outros neste ano de 2010. Busquemos a paz verdadeira para as nossas vidas; deixemos a mesquinhez de um coração que pede vingança e recompensa, por uma suposta "direito individual", deixemos de lado a mágoa, a tristeza, coisas que vêm bem lá de atrás, do passado, e que nos afligi. Deixemos as mágoas e tristezas no lugar de onde jamais deveriam ter aparecido, no passado.

Em nosso futuro haverá lugar apenas a um novo tipo de homem e de mulher, àqueles que marcados por atos capazes de provocar boa vontade nos outros, superem o passado. Um novo tipo de ser-humano, não o super-homem de Niesztsche, mas um homem e mulher que se tornam capazes de reconhecer que possuem fraquezas e limitações, e que em humildade, aceitam que somente se completam e se complementam no outro, no próximo, que é o seu irmão (ã).

O futuro pertence àqueles que conseguem olhar e enxergar no outro um espelho de si mesmo. Um espelho que reflete ele mesmo no rosto e nos atos dos outros, sejam atos bons ou maus. O mundo somente poderá se tornar melhor se enxergarmos no outro àquilo que podemos melhorar em nós, sem contudo condená-lo, mas amando-o como ele é, pois nada mais é do que o que nós ajudamos a construir sobre ele.

Assim são as crianças pobres, os marginalizados, os sem tetos, sem terras, os ladrões corruptos, políticos desonestos, os condenados em prisões, moradores de rua, desnutridos, os que vivem na miséria, àqueles poucos quem têm tanto que sobejam em suas mesas, em nem mesmo a porção dos cachorrinhos deitam aos que os rodeiam e esperam cair migalhas de suas mesas.

Todos estes são reflexos do que somos, egoísmo, vaidades, mentiras, ódio, individualidade, mal caráter etc. Somente poderemos ser, fazer e vivermos a diferença, se aceitarmo de Jesus Cristo ajuda, rogarmos ao Senhor que nos dê BOA VONTADE PARA COM OS HOMENS!

Um feliz Natal e um Ano próspero e Feliz a todos os meus amigos e irmãos que me acompanham no Blog, na Igreja e na Vida!

Desejo  à todos e as suas famílias o amor, a alegria, a paz e principalmente a Graça que emana de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Pastor Alexandre da Silva Chaves

Tudo posso naquele que me fortalece (Fp. 4:13).

"Tudo posso naquele que me fortalece", ao contrário da tônica triunfalista empregada por diversos setores evangélicos, representa na verdade uma das maiores expressões de contentamento do Apóstolo Paulo.
Antes de Paulo ancorar esta expressão em sua carta, ele afirma ter aprendido o sofrimento, e tal expressão "posso todas as coisas", significa um contínuo aprendizado que o apóstolo alcançou contido de uma capacidade de suportar o sofrimento, tudo isto pela graça do Senhor Jesus Cristo em sua vida.
Talvez tenhamos que aprender a nos contentar um pouco mais com o que temos no mundo em que vivemos, relendo palavras como estas do apóstolo Paulo.

Alexandre da Silva Chaves

Alexandre da Silva Chaves